Preservação

A Mata Atlântica no Parque do Zizo encontra-se em avançado estado de conservação. Aqui não há espécies introduzidas nem animais domésticos ou outro impacto humano. É a floresta em seu mais puro estado de conservação.

Acesso

O acesso ao Parque do Zizo é fácil e qualquer carro chega até nosso estacionamento, a 700mts da pousada.
Veja como chegar.

Parque do Zizo no Facebook

ASSOCIAÇÃO PARQUE DO ZIZO

 

I – Sobre Documentação
A ONG APAZ foi criada em 1999 para administrar o Parque do Zizo, reserva particular de propriedade dos irmãos do Zizo, que protege 300 hectares de Mata Atlântica primária situado no município de Tapiraí, Estado de São Paulo. A localização geográfica do Parque é 24 00 54.365 S 47 48 46.777 W e sua única estrada de acesso fica no município de São Miguel Arcanjo via o Bairro da Justinada.

A APAZ é regida pelo seu Estatuto com última alteração registrada sob nº 003117 em 08/04/2005 Cartório de Títulos e Documentos de Itapetininga, e mantém um escritório na cidade de São Miguel Arcanjo, na Rua Narlir Miguel nº 231 CEP 18230-000. Todas as nossas documentações e obrigações legais são mantidas em ordem por escritório de contabilidade independente.

II – Sobre Objetivos
A APAZ veio para coordenar ações que dão vida ao Parque do Zizo. Através de seu experiente Conselho Diretivo que opera junto há mais de 10 anos, rigorosamente dentro das regras estabelecidas pelo seu Estatuto de maneira democrática e consensual, estabelece políticas que definem rumo e normas claras que definem postura e ação, visando dar sustentabilidade ao projeto Parque do Zizo.

A APAZ trabalha para recuperar e restaurar a imagem de Luiz Fogaça Balboni, o Zizo, jovem valente que ousou desafiar as forças da repressão da ditadura militar que reinou por quase 3 décadas, ceifando a vida de muitos visionários que sonhavam com um país melhor. É também a entidade que faz interface com a sociedade, divulgando e dando suporte aos projetos que estão ainda incubando e os que estão em andamento.

A APAZ luta pela defesa do meio ambiente, pela preservação e conservação da mata nativa, mitigando as atividades ilícitas de predadores humanos, eliminando a prática da extração de árvores nativas nobres, do cobiçado palmito Jussara e da agressiva mineração nos rios e riachos que cortam a mata dentro do Parque do Zizo.

A APAZ investe na educação ambiental dos habitantes do entorno do Parque, mostrando o caminho, influenciando e modificando o comportamento das comunidades, algo que já é visível hoje em dia. Foca sua energia na formação da uma nova consciência ambiental, dirigida especialmente a essa geração de jovens que são o futuro deste país.

A APAZ trabalha também para promover o desenvolvimento sustentado da região de São Miguel Arcanjo, no Estado de São Paulo, participando de eventos para divulgar nossa postura através do Parque do Zizo onde se pratica o que se propõe, incentivando a cultura orgânica de alimentos, a separação e reciclagem do lixo, além de apoiar movimentos de entidades que ajudam a preservar o equilíbrio ecológico.

III – Sobre Principais Atividades
Dentre as principais atividades realizadas destacam-se:

1) Realização da missa de 30 anos da morte de Luiz Fogaça Balboni, o Zizo, militante da ALN assassinado em 1969 pelo regime militar. A missa foi celebrada no dia 25 de setembro de 1999, em São Miguel Arcanjo, pelo Frei João Xerri. Entre os presentes estavam Manoel Ciryllo, preso político mais antigo do Brasil, amigos de infância, familiares e representantes de movimentos pelos direitos humanos. A forte propaganda da Ditadura durante muitos anos qualificava qualquer opositor seu como ‘terrorista’. Agora que a verdade veio à tona, o Zizo retorna ao lugar onde sempre esteve, restabelecendo aquela imagem que todos nós, família e amigos conhecemos: menino livre e bonito, jovem irrequieto e valente, que sempre defendeu um mundo melhor. Esta foi à primeira vez que o assunto foi tratado publicamente para o deleite de sua mãe no finalzinho de sua vida, religiosa e inconformada com os duros e devastadores fatos.

2) Construção da infra-estrutura, implantação da operação de hotelaria e manutenção das instalações do Parque do Zizo (www.parquedozizo.com.br). A Reserva Natural foi criada com o objetivo de resgatar a memória do Zizo, aliando sua imagem e ideais à preservação da Mata Atlântica. Os recursos iniciais para o desenvolvimento do projeto vieram da indenização paga pelo Estado para as famílias das vítimas da ditadura militar.

3) Articulação do Fórum de Turismo de São Miguel Arcanjo, que reuniu representantes da sociedade civil e da municipalidade para discutir o desenvolvimento do turismo ecológico de baixo impacto na região;

4) Coordenação das discussões para elaboração do projeto de restauração do cinema de São Miguel Arcanjo que estava ameaçado de demolição e hoje se encontra reformando com a fachada preservada e em processo interno de reforma pelos atuais proprietários.

5) Produção do Evento Cultural “São Miguel são outros 500”, com atividades circenses, cinema na praça organizado pela Laís Bodansky e shows musicais com a cantora Ná Ozzetti e Banda Marcial de Itapetininga;

6) Participação ativa no projeto da recuperação da estrada que liga São Miguel Arcanjo a Sete Barras, transformando em estrada Parque.

7) Planejamento, coordenação e motivação de parceiros, desenvolvimento e supervisão da execução do primeiro Portal do município de São Miguel Arcanjo, implantado ao lado do Parque Carlos Botelho, marco para o percurso de romeiros que transitam na Estrada-Parque.

8 ) Participação ativa na elaboração do Plano Diretor do município, defendendo uma visão moderna do uso sustentável da Mata Atlântica, em parceria com ambientalista, fomentando o eco-turismo como fonte de receita para a geração de empregos.

9) Programa e coordenação do projeto de educação ambiental “Aprendendo com a natureza”, com 5 edições anuais, em parceria com o Parque Estadual Carlos Botelho, a Prefeitura de São Miguel Arcanjo, Conselho Municipal da Criança e do Adolescente e como patrocinador a Petrobrás. O projeto levou mais de 600 crianças carentes do entorno do Parque do Zizo (bairros da Justinada, Taquaral e Turvinho) e do Projeto Curumim (crianças que foram tiradas das ruas) para visitar as reservas e receber aulas sobre o meio ambiente e cidadania.

10) Construção com recursos próprios acumulados durante anos, de 4 quilômetros da estrada que dá acesso ao parque, antes praticamente intransitável durante o ano todo. A estrada melhorou a qualidade da vizinhança, afastando predadores que se arranchavam no caminho e no seu lugar, entraram proprietários mais conscientes de suas responsabilidades com a mata, inclusive um deles implantando uma pequena reserva ecológica.

11) Participação ativa e pioneira no AVISTAR, encontro brasileiro de observadores de pássaros, que se realiza anualmente em São Paulo. A APAZ, madura depois de tantos anos preservando, recomenda fortemente a atividade de observar aves, pois além de trazer conhecimento sobre nossa diversidade nativa, pode catalogar registrar e gravar cantos lindíssimos de aves raras, sem contar o baixo impacto que causa na natureza.

12) Coordenou e organizou a visita da então ex Ministra do Meio Ambiente Marina Silva em agosto de 2.008 ao Parque do Zizo, por ocasião da homenagem que foi prestada pelo Secretário dos Direitos Humanos Paulo Vanucchi ao Zizo, inaugurando um painel denominado DIREITO A MEMÓRIA que está fixado no Parque.